Inicial Imóveis para Venda Imóveis para Locação Contato A Empresa Vender / Alugar meu Imóvel Pesquisa Completa Financiamento Notícias Links Úteis Cadastro de Clientes Deixe seu Imóvel Conosco! Documentação em geral Faça parte de nossa equipe! Imóvel Bom e Barato Morar(Alugar) ou Investir(Comprar) O que é coronavírus? (COVID-19) Personalize o tipo de imóvel que deseja Oportunidade de Negócio! Investir em Imóveis
 11 5939-7727 | 11 95762-2368  Rua Roraima, 110, Cidade Dutra São Paulo SP
Tradução  

Casa para Venda, São Paulo / SPbairro Cipó, 3 dormitórios, 2 banheiros, 2 vagas de garagens


  • 3 Dormitórios
  • 2 Banheiros
  • 2 Vagas

R$ 260.000,00


Compartilhar:
Código: DMCSTRRCPEMB019
Endereço: Rua Voluntários do amor
Bairro: Cipó
Dormitórios: 3
Banheiros: 2
Vagas: 2
Sala: 1

Fale agora Conosco

Descrição do Imóvel

Vende Casa no Cipó municipio de embu-guaçu

Área do terreno total: 163,75m²

A casa tem 3 dorm, sala, cozinha, 2 banheiros, corredor lateral, mais 2 comodos no fundo, espaço da garagem cabe até 2 carros populares, é uma casa térrea onde na parte de cima tinha a ideia de construir um espaço de lazer com piscina e churrasqueira, laje com fundação para suportar outra construção.

Documentação: Escritura do terreno
OBS. A casa necessita de uma reforma geral

Valor: R$ 260 Mil (aceita permuta por imóvel de menor valor na região do grajau, vila são josé, jd icarai, jd são bernardo, pode ser no litoral sul de são paulo)

Vamos Agendar uma visita!
SOMENTE COM CORRETOR
D.MASSULO Corretor de Imóveis
11 5939-7727
11 95762-2368 oi.zap (ligação e zap)
11 98316-4289 zap (somente zap)
 
Cômodos
Área de Serviço
Cozinha
Proximidades
Bares e Restaurantes
Escola
Farmácia
Supermercado

Observações

Cipó-Guaçu é um distrito do município brasileiro de Embu-Guaçu, que integra a Região Metropolitana de São Paulo.

A história de Cipó-Guaçu começa com a chegada de imigrantes alemães ao Brasil no ano de 1829, onde encontravam-se os primeiros povoadores da Zona Sul da Grande São Paulo. Vindos a partir da promessa do então imperador do Brasil D. Pedro I, de ceder aos imigrantes subsídios, terras para o cultivo e instrumentos de trabalho, para iniciarem em território brasileiro suas novas vidas.

Após desembarcarem dos navios no porto de Santos, a princípio os colonos deveriam seguir para o bairro do Rio Bonito e para a Colônia de Itapecerica da Serra, no antigo município de Santo Amaro onde ranchos deveriam ser construídos.

Após muita espera, contratempos e a ocorrência de conflitos pela posse de terras, D. Pedro II, imperador na época, efetuou a divisão de terras da região, distribuindo-as entre as famílias de imigrantes. Mas a realidade não foi a esperada, pois os colonos foram alojados em territórios afastados, em meio a várzeas e Mata Atlântica fechada, derrubada a machado para poderem iniciar seus cultivos. Neste período, tamanha era a dificuldade que até mesmo as mulheres ajudavam no trabalho pesado. Muitos partiram para outras regiões mais férteis, como o interior de São Paulo ou o Sul do país, mas boa parte da colônia permaneceu. O isolamento se deu por exigência dos fazendeiros escravocratas de Santo Amaro, que temiam rebeliões e não os queriam próximos aos seus escravos.

Obras da época narram: "os Schunck não foram para a Colônia de Itapecerica, mas sim iniciaram o trabalho na lavoura do Sítio em Rio Bonito." Coube a família Schunck a região entre os rios Guarapiranga e Grande, de Interlagos até as matas de Embu-Guaçu, no ano de 1860. Seu principal colonizador foi Heinrich Schunck (nascido em 24/06/1776 em Lauterecken, distrito de Kusel, estado da Renânia-Palatinado - Alemanha), vindo com sua esposa M. Katharina Schorg e seus 6 filhos: Elisabeth, Margaretha, Heinrich (Henrique II), Philippina, Juliana e Pedro.

Seu filho Heinrich (Henrique II) que chegou com a idade de 18 anos, juntamente com seus pais, tornou-se tropeiro. Transportando café de Campinas para Santos, com isso adquiriu um sítio próprio e uma boa situação financeira. Por iniciativa própria promoveu o desenvolvimento dos povoados da região com a abertura de uma nova estrada que cruzava as terras de sua família e de outros imigrantes da região, a antiga estrada de Parelheiros (atual Av. Sadamu Inoue), que ligava a vila de Embu-Guaçu até a vila de São José, de onde se podia partir para Rio Bonito e Santo Amaro.

Heinrich (Henrique II) ajudou muito os novos imigrantes a se estabelecerem na região, pois falava o alemão e o português. Com o passar dos anos, a família Schunck foi abrindo mão de parte de suas terras para novas famílias, entre elas as famílias Poletti, Boemer, Roschel e Gottsfritz. Relatos da época citam: "João Roschel e Margarida Hillen chegaram ao Brasil no início de julho de 1856. Eles se instalaram no Bairro Santa Cruz, atual Parelheiros, e adquiriram terras pertencentes a Henrique Schunck, do qual tiveram grande ajuda para começar...".

No final do século XIX, seu filho primogênito, Henrique Schunck Filho (Henrique III), estabeleceu sua fazenda nas margens do ribeirão do Cipó, próximo ao povoado de Embu-Guaçu.

Na fazenda construiu uma serraria para transformar a madeira extraída da região. A moderna serraria era abastecida por energia elétrica gerada por uma roda d'água, construída por ele mesmo. Na obra de Friedrich Sommer (1945, p. 308), onde encontramos também valiosos relatos sobre os primeiros habitantes de Santo Amaro, este local é ilustrado. O autor escreve sobre os Schunck: “Os Schunck, família grande e importante, possuem uma enorme propriedade. No bairro Cipó ou São João da Boa Vista em Santo Amaro, encontra-se a fazenda de Henrique Schunck, com uma moderna Serraria e iluminação elétrica.”

Henrique casou-se com a jovem Maria André Klaus e fundou o povoado de Cipó-Guaçu em suas terras. Logo, outras famílias como Rocumback, Roschel, Klein, Mentone e Freire se estabeleceram em Cipó-Guaçu e juntos trabalharam para o desenvolvimento da região.

Maria André Klaus Schunck, que era professora, fundou a primeira escola de Cipó-Guaçu no ano de 1930.

Henrique Schunck (Henrique III), nasceu no dia 30/08/1852 no antigo município de Santo Amaro. Ele faleceu 17/12/1930 e foi enterrado no Cemitério de Parelheiros.

Na época, os rios eram muito utilizados para escoar mercadorias. As canoas serviam para o transporte de alimentos, principalmente entre o povoado do Cipó e o povoado de Embu-Guaçu.

Em 1929, chegaram á região as obras do ramal Mairinque/Santos da ferrovia da Estrada de Ferro Sorocabana, que ligaria o interior paulista ao porto de Santos. No povoado foi construído uma estação com o nome de Cipó, inaugurada em 1934. Inicialmente feita de madeira, recebeu um prédio de alvenaria somente dois anos depois. Mais tarde, teve o seu nome alterado para Mário Souto, em homenagem àquele que havia sido o engenheiro-chefe das obras do ramal. Em 1986, os desvios foram retirados e a parada passou a ser efetuada numa plataforma coberta existente a alguns metros da antiga estação. Em 1997, a parada foi totalmente desativada juntamente com o fim do transporte de passageiros.

Atualmente no centro de Cipó-Guaçu, bem próximo de onde ficava a antiga serraria, está localizada a Praça Henrique Schunck em homenagem ao fundador. Nesta praça está localizada a Igreja de São Sebastião, padroeiro do distrito.

Mapa de Localização

Central de Negócios

Para ter mais informações sobre este imóvel ligue:

D.MASSULO Corretor de Imóveis
Rua Roraima, 110
Cidade Dutra - São Paulo - SP
(11) 5939-7727 (11) 98637-8658 tim (11) 95762-2368 oi. 
atendimento@tmnegociosimobiliarios.com.br

Acesse nossa Política de Privacidade

Mais Informações

icone-whatsapp 1
Entrar em contato

 Rua Roraima, 110, Cidade Dutra São Paulo SP

 11 5939-7727 | 11 95762-2368

 E-mail: atendimento@tmnegociosimobiliarios.com.br

www.tmnegociosimobiliarios.com.br © 2021. Todos os direitos reservados.

Site para Imobiliarias
Site para Imobiliarias

Esse site utiliza cookies para garantir a melhor experiência e personalização de conteúdo. Ao continuar navegando, você concorda com nossa Política de Privacidade.